sexta-feira, 12 de março de 2010

SACANAGEM






A vida tá valendo muito pouco. Alguém pode dizer que eu só descobri isso agora, aos 40. Não é isso, é que dói o rumo que as coisas andam tomando. Não cresci nessa época de "valentões armados" que invadem teatros. Na minha época, até bandido tinha seus princípios. Hoje, princípio e respeito, são valores ultrapassados. Ta todo mundo partindo pro tudo ou nada, armado ou não, ta cada um por sí até as últimas consequências. E lá, na ponta mais profunda da sociedade,o fio tênue entre o tudo ou nada na vida de um bandido é a pressão do dedo no gatilho, pouco importa o peito de quem ta na frente, assim como lá no topo, pouco importa quem esteja na frente de uma HYLUX cabine dupla. A ordem do dia é passar por cima, "atropelar". QUE MERDA!

quinta-feira, 11 de março de 2010

terça-feira, 9 de março de 2010

O trem que não sai do alcance da minha vista

Esse foi um curta de conclusão de curso da minha sobrinha, Carol Bonesso feito em 2007. No elenco comigo, meu sobrinho Giuliano Bonesso, ou seja, tudo em familia. A Carol se formou em rádio e TV no mesmo ano e hoje é fotógrafa de um grande estúdio de São Paulo. O Giuliano segue firmando-se como ator e após meter o pé na estrada pela América Latina fugindo dos terremotos do último mês, ta começando o curso de letras da FFLECH-USP esse ano, mas garante que continuará atuando. Sei não, o moleque há algum tempo anda engolindo livros e filmes e escrevendo um monte de coisas que ainda não mostra para quase ninguém. Eu? Bem, eu sigo no meu caminho torto de inseguranças, lutando contra o tempo que passou e eu não ví passar, querendo que o dia tenha 48 horas pra poder recuperar as coisas que deixei de prestar a devida atenção entre uma e outra década perdida, matriculado em um eterno supletivo da vida, tentando pegar um trem que não vai mais parar em nenhuma estação mais que não sai do alcance da minha vista.